sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Mc Topete- HUT- 17/08/2017

Hoje eu chuva,
 
amanhã tu raio,
e depois ele trovoa,
 
nós? Tempestades...
 
Deparei-me com as novas tempestades que acompanharei nesta nova estação, com a sutil e delicada alma tempestiva chamada: Ellen Fantin, cheia de brilho no olho e de doçura ao cuidar, com o imponente e carinhoso ser tempestivo: Frederico dos Ombritos  exalando compaixão e ternura por onde passava, e por último e tão importante quanto, com a bela e delicada criatura tempestiva: Frida Tequila emanando paz, segurança e amor no mais minucioso movimento realizado... Eu rio, nós tempestades...
Tempestades humanas tal qual novela de rádio, repletos de sonhos e de uma ninhada de sentimentos bons, adoçados com sorrisos sinceros de homens palmeiras... Em acertos e desacertos, em meio a fé, a coragem e a esperança... Ai um dia por sorte nossa, nos acertarmos em nossas tempestades, assim feito Vera Lúcia, mulher de grande espírito, ensinamento vivo de que amar e servir é a lição mais fidedigna de que nós por nós mesmos podemos e devemos encarar as tempestades alheias, para que assim de forma serena possamos apenas abraçarmos as nossas.
Tempestades humanas, carregadas de um amontoado de coisas, de um amontoado de nós mesmos.  
 


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Ellen Fantin, HUT 1º andar, 17/08/17

Depois de um longo dia de aulas nada melhor que uma atuação com os melhores companheiros do mundo para tornar o dia mais feliz. Logo após subir o nariz ao som de “minha eguinha pocotó”, eu, Frida Tequila, Frederico dos Ombritos e McTopete partimos em busca de novas aventuras no país dos encontros.

Nossa primeira parada foi na casa de uma família real, cuja rainha era a NICINHA SÓ. Ela era tão amada pelos seus súditos que estavam dando comida direto em sua boca. Depois de conhecer a história da rainha partimos para espalhar as novidades por todos os reinos.

Encontramos várias pessoas dispostas a nos receber e compartilhar um pouco daquele momento conosco. Aprendemos grandes lições com cada uma delas.

Nossa próxima parada foi pra conhecer uma senhora muito simpática que denominava sua família como uma “ninhada”. Isso mesmo; como uma ninhada de pintinhos amarelinhos de várias gerações. São filhos, netos e bisnetos pra alegrar o ninho daquela família. Mãe de 11 filhos, ela ainda adotou outras crianças, demonstrando quanto amor tinha pra dar.

Nesse momento me deparei analisando como o termo usado por ela para designar uma família (ninhada) pode ser tão perfeito. Família é união, apoio, amor; E não é exatamente isso que vemos em uma “ninhada”? Assim como a galinha cuida dos seus filhotes para que nenhum se perca, a mãe também cuida dos seus filhos para que nenhum siga o mau caminho. Assim como a galinha briga pra proteger seus filhotes, a mãe também faria de tudo pra tomar as dores de seus filhos e não deixar que nenhum mal lhes acontecesse. Assim como a galinha se sacrifica pelo bem da sua ninhada, a mãe também reuni todas as suas forças pra conseguir oferecer o melhor para seus filhos.


Ao conhecer a filha dessa senhora foi possível perceber o amor que emana dessa família e concluir que é desse amor que precisamos todos os dias. Nada como o amor de uma mãe para manter sua família unida e feliz. Aprendemos uma grande lição na atuação de hoje: necessitamos de abraços, cuidados, carinhos, e também de PALHAÇOS. 


Beto Caroteno, HUT 3º ANDAR, 07/08/2017

Abraços, olhares e tudo que há de bom.
Esses foram os ingredientes escolhidos para formar os palhaços perfeitos.
Mas o formador Neto, propositadamente, acrescentou um ingrediente extra na mistura: o elemento nariz!
E assim despertaram os Melhores Companheiros do Mundo, usando seus ultra-super poderes, Beto Caroteno, Nana Cancan e Pedrinho Palito, têm dedicado suas vidas combatendo a tristeza no terceiro andar do hospital. (tãn tãn tãn tãn tãn...)

Era uma manhã comum nos corredores do hospital, pessoas à espera de cirurgias, funcionários passando de um lado para o outro. Até que surgimos com um certo medo interno por ser o primeiro dia naquela missão. Encontramos pessoas disponíveis e outras nem tanto. Os pacientes vinham ao nosso encontro e interagimos com eles de uma forma tranquila e calma. Conhecemos pessoas de Verdejante e nos deparamos com um amigo conquistador de longas datas do hospital que tinha uma habilidade exótica de manipular as asas das costas, provavelmente esse era o segredo do jovem namorador. Então conhecemos sua mãe que passou toda a ficha do filho e nos contou das noras que seu filho tem dado em cada andar do hospital.
Diante de tudo, o medo foi dissipado aos poucos e a experiência foi prevalecendo.
E nos arriscamos a dizer que pela primeira vez o dia foi transformado graças aos Melhores Companheiros do Mundo.

Beto Caroteno, Abraço Grátis - Feira da Areia Branca, 30/07/2017


"As pessoas são solitárias porque constroem muros ao invés de pontes."
Em meio ao nervosismo e ansiedade inerentes ao tão esperado dia, eis que surgiram momentos cativantes que trouxeram reflexão e calmaria pra alma. O ato de abraçar é uma troca incrível de afeto, é como emprestar um pouco de si para outro e receber um pouco de volta. Esse cross-over pode, aparentemente, durar pouco tempo na prática, em média 15 segundos por exemplo. No entanto, após o contato físico ser desfeito, o toque na alma perdura e gera calmaria, consolo, lembranças, paz. Diante da troca de olhares, constrói-se pontes, Em meio ao fervor de um abraço, a distância é quebrada.
Infelizmente, há pessoas que preferem ficar em seus mundos com seus muros. Talvez por medo ou até porque cresceram com essa ideia e a fluidez do mundo contemporâneo  corrobora com isso. A mim não compete julgá-las ou forçar ligação. Cada um possui suas peculiaridades. E o Abraço Grátis confirmou isso para mim.
Por  outro lado, a família estava reunida! Conexões e manutenções foram feitas. Os melhores companheiros do mundo ao meu lado. Impossível ser mais grato!
NOTA MUITO IMPORTANTE: em meio a um mundo mudo para os sentimentos, eis que uma voz surgiu quebrando a distância. Era um jovem, pedia um abraço. Prontamente eu corri ao seu encontro. Corajoso, sonhador! Sábio! Optou por contruir pontes. E sou grato por ter me contado um pouco dos seus sonhos.
A maior lição que aprendi foi essa: ser palhaço está além de fazer rir. Às vezes, significa chorar com os que choram e os motivar a sonhar.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Dudu Empenado - HUT 1° Andar, 15/08/2017


            OIEE DIÁRIO. Feriado+ dia sem aula+ atuação no HUT = receita da felicidade. Graças a Deus cheguei cedo no hospital, por que minha gente ônibus no feriado passa a cada 4 horas kkkkk. Subimos para o primeiro andar e fomos nos trocar na salinha.O inicio da atuação foi complicado. O primeiro empecilho foi tirar uma foto do grupo, pois mesmo eu, Bibi Oteca e Moama do Bairro já estarmos prontíssimos e na pose, Gigi Abacaxi ainda estava procurando seus acessórios.

                                      Uma bolsa ou um poço sem fundo? Sexta no globo repórter 

                      53 minutos depois a primeira foto Gigi achou sua coisas e todos posamos gatinhos  

           No corredor tinha algumas pessoas falando sozinhas com a mão na orelha. Elas não queriam falar a gente então decidimos falar sozinhos com a mão na orelha também, porém para a gente a mão não respondia de volta igual a das pessoas, estranho. Decidimos procurar pessoas para conversar, pois a nossa mão não funcionava. Quando chegamos nos quartos constatamos que no lanche da tarde aquele dia tinham colocado sonífero na comida, pois todos estavam dormindo. Como guerreiros que somos lutamos para achar um quarto com alguém acordado. Ao passar no corredor avistamos alguém acordado em um quarto e fomos até lá. Questionado sobre por que só ele estava acordado no hospital inteiro, ele nos disse que dormia a noite e de dia ficava acordado(que rapaz atípico). Na cama ao lado tinha um cara que já nos conhecia, na época que ficamos alguns dias na cidade de Orocó-PE. Ele não lembrou nosso nome mas jura de pés juntos que tinha nos visto lá na praça principal da cidade junto a mais 30 palhaços kkkkk. Combinamos de voltar lá mês que vem, inclusive ele deixou o contato para ligarmos e ele levar a gente no rio de lá, segue em anexo caso vocês queiram falar com esse guia turístico : 4002-8922 (se não me engano é esse).
            Segue em anexo também a lista de pontos turístico:
-Super hiper mega feira de roupas(apenas roupas femininas L )
-Rio com água até a cintura (ótimo para quem não sabe nadar como eu)-Praia-Restaurante local

           No próximo quarto estava o senhor Mário. Ele estava muito alegre e com uma energia muito boa.De início ele disse que estava com saudades de nós, porém depois disse que não eramos o mesmo grupo que ele tinha conversado antes. Ficamos com ciúmes, pois ele estava conversando com outros pelas nossas costas. E durante o bate papo aconteceu uma descoberta fenomenal: ENCONTRAMOS O PAI DA GIGI. Seu Mario tinha 10 filhos, mas só estava lembrando de 8 deles. Cruzando informações descobrimos que Gigi era uma das filhas perdidas. Saímos do quarto em busca do outro irmão ainda desconhecido da nossa companheira.
            Ao entrar no próximo quarto encontramos Jessica que não estava conversando com sua tia por que já estava ocupada falando sozinha com o fone de ouvido. Questionamos o nome do fone e Jessica nos disse que ele se chama Arthur. A tia ouviu e ficou questionando a sobrinha sobre as características do dito fone de ouvido que a Jessica conversava tanto. No final a tia prometeu guardar o segredo kkkk. Saímos de lá com a missão de guardar esse segredo também, porem Bibi contou para um cara no corredor e ele era fofoqueiro e contou para todos. Saimos correndo do hospital antes que Jessica descobrisse que tínhamos espalhado o nome do seu fone de ouvido kkkkkkk. 

Kelly Star, HUT, 10/08/2017


Oii diário, turobom?

       Primeira atuação no hospital, passei o dia tooodo mega ansiosa "Eraaasmo vamo buscar logo as maquiagens pelo amooor de Deus!" Depois do treino de perna subindo as escadas, chegamos ao 3º andar. Lembro de meu coração estar batendo tão forte que mesmo com todos os sons ao redor eu conseguia ouvi-lo perfeitamente. Todo o nervosismo passou assim que eu e meus melhores companheiros do mundo 
~ Marcel Moreno Mel , Testina Nado Costa Gepeto Melancia ~  



encontramos o primeiro baiano que só falava da preguiça que tinha visto. Esse dia foi repleto de dúvidas : Porque a senhorinha não estava comendo ? Como diaxo Cícero fazia aquilo nas costas ? E como foi que Juliana foi seduzida por aqueles movimentos estranhos de Cícero ? kkk Como é que João são paulino tão gente boa era pai de John caba chaato cheio das gracinhas ? E a dúvida maior É PRINCESA OU DOMÉSTICA ? Mas essa era só de Testina porque todo mundo disse que era princesa viu ?! Fizemos até entrevista com a enquete é princesa ou não é ? lá naquele quarto que tava animado por demais, até Cícero chegou por lá com suas "asas de mocergo" segundo a mulher mais faladeira do quarto , e até o segurança e a mulherzinha da limpeza se juntaram lá. Eeeeita que tava uma farra, mas ainda tinha mais, então entramos no quarto mais cheiroso do Hut , vou dizer agora o porque : só tinha mulheres haha as mais lindas, fofas e cheirosas, só a das unhas pintadas e camisola chiquerrima não era da Bahia (coisa rara porque ôh andar pra ter baiano), teve uma que até colocou a gente dentro de um retângulo branco chamado Lg. Foi tão bom não perceber as horas passarem, tão bom ver pessoas disponíveis em todos os quartos, tão bom encontrar os olhares e deixar fluir naturalmente alguns toques, tão bom sentir que mesmo que pareça pouco, estávamos sim, cuidando. Tão bom que logo logo tem mais e poderemos voar novamente polinizando mais amor. 
Beijinhox